A rivalidade Apple e Facebook

O duelo de gigantes

por Filipe Mendes

A troca de acusações entre a Apple e o Facebook não é de agora mas uma nova actualização no sistema iOS trouxe as gigantes tecnológicas de novo para a ribalta. Esta nova actualização, notificará os utilizadores quando certas aplicações móveis estão prestes a rastrear a actividade do utilizador em aplicações ou páginas web desenvolvidas por outras empresas, e permitirá bloqueá-las caso o utilizador assim o entenda.

Esta mudança é importante porque, com mais de 95% das suas receitas provenientes de publicidade, o Facebook tira partido deste tipo de rastreios para construir um modelo dos seus utilizadores e tornar mais fácil a publicidade direccionada para indivíduos com determinadas características, gostos ou interesses.

De acordo com o artigo “Facebook’s statistics" da Hootsuite, menos de 15% dos utilizadores diários do Facebook, utiliza dispositivos iOS no acesso à plataforma. Se destes 15% presumirmos que apenas uma parte irá rejeitar esta nova permissão, deduzimos que o impacto para o Facebook, resultado de uma eventual redução de anúncios personalizados, pode ser significativo mas está muito longe de ser catastrófico. Menor ainda será, se tivermos em conta as sucessivas campanhas de marketing que o Facebook tem vindo a fazer nos últimos meses de forma a preparar os utilizadores.

Este caso fez-me lembrar a notificação que recebi da Google no final do ano passado, para confirmar quais as funcionalidades do Gmail que pretendo desactivar em prol da minha privacidade. À partida, desactivar tudo seria o mais expectável mas à medida que navegava e compreendia as funcionalidades que dependiam da partilha dos meus dados, mais difícil ficou a escolha entre o que desactivar e o que manter activo. É este tipo de dilema que o Facebook tem de conseguir propor aos seus utilizadores.

Compreende-se que o Facebook tema um movimento mais alargado com os restantes fabricantes e sistemas operativos para reduzir este tipo de publicidade. É também fácil de perceber que a Apple não está meramente a fazer serviço público. Mas quando consideradas todas as variáveis, é provável que o impacto nas receitas do Facebook seja marginal.

Veremos nos próximos relatórios de contas.